Acordei as seis da manhã, conforme combinado, e para minha surpresa não estávamos em seis pessoas mas apenas em três! Senti ao mesmo tempo, alívio e desconforto por pensar assim, mas era novidade demais para mim no momento, então, como havia prometido para mim mesma e para meu amigo, o tempo que passasse aqui diminuiria a autocritica e cobranças. Comecei então, a exercitar!! 

Saimos do quarto em direção ao local combinado para meditarmos (seria minha primeira vez). Estava apreensiva para variar um pouco, então, lembrando da frase de uma amiga : ” se permita encontrar a Paz”, respirei fundo e mandei aquele sentimento a ***** , o que para mim, já foi um progresso, pois costumava amordaçar emoções e sentimentos e para piorar as coisas, falava para mim mesma que estava tudo bem. 

O local reservado para meditarmos era muito agradável. Uma combinação perfeita de velas, flores, imagens, almofadas, colchenetes e muita Paz! Deixamos os sapatos do lado de fora e entramos em silêncio. Me sentei sobre uma almofada, cruzei as pernas em posição de meditação, fechei os olhos com a imagem daquele local em minha mente, e nesse momento, uma deliciosa sensação de Gratidão por estar lá tomou conta de mim. Em silêncio, eu rezei, entreguei tudo o que estava vivendo aquele local. Sentia as lágrimas escorrerem pelo meu rosto, assim como sentia uma brisa suave me envolvendo. 

Não me lembro por quanto tempo permaneci assim. Só recordo que voltei a abrir os olhos quando ouvi uma voz muito suave e acolhedora dizendo bom dia e nos pedindo para a acompanharmos em algumas posturas de yoga. 

Durante as práticas, sentia que meu corpo procurava seu lugar no mundo, dentro e fora de mim. Continuei acompanhando aquela pessoa gentil que estava nos conduzindo, enquanto as lágrimas não paravam de surgir. Terminamos essa atividade com um gostoso relaxamento (e mais lágrimas). Ao final do relaxamento, haviam mais pessoas (que trabalhavam no local) na sala. Elas se apresentaram e nos convidaram a seguir em direção ao refeitório. Levantamos em silêncio, mas esse, acabou rapidinho quando lá chegamos. 

O café foi maravilhoso e de lá seguimos para um grande salão, onde nos apresentamos e ficamos conhecendo a pessoa responsável por toda essa estrutura de trabalho e lá ficamos por algumas horas. 

Foi um momento único, de grande emoção, onde nos abraçamos e choramos muito ao final, antes de irmos almoçar. Algumas experiências não podem ser descritas. Elas são personalíssimas! Já nesse momento do primeiro dia, comecei a perceber que alguma coisa estava acontecendo dentro e fora de mim… (continua…).